X

O Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas e Logística no Estado do Rio Grande do Sul (SETCERGS) reconhece os serviços prestados pelo Departamento Autônomo de Estradas e Rodagem (DAER) a toda sociedade gaúcha na gestão do transporte rodoviário, consolidados nos 80 anos de sua fundação. A autarquia, hoje responsável por mais de 12 mil quilômetros de rodovias, vem se notabilizando por modernizar e conferir elevado padrão de qualidade à malha rodoviária gaúcha. Apesar de enfrentar problemas financeiros, entre outras dificuldades ao longo de oito décadas de existência, o Departamento, além de construir e conservar estradas, busca a satisfação dos usuários, exigindo serviços ágeis e modernos, com respostas rápidas às suas necessidades. Como principais usuários das rodovias sob jurisdição do DAER, somos testemunhas dos esforços e da dedicação em sempre atender os nossos reclames, e em diversas oportunidades, firmar parcerias visando encontrar as melhores soluções que resultem em aumentar a competitividade do estado gaúcho no escoamento de seus bens e serviços.

Afrânio Rogério Kieling | Presidente do SETCERGS

X

Comemorar 80 anos de ações e contribuições à sociedade gaúcha é gratificante e meritório. Recomendamos que toda a experiência e conhecimento desta qualificada equipe possa ser multiplicada e transformada em ações efetivas para a comunidade.
Parabéns pelos 80 anos de conquistas e ações de interesse coletivo.

Alcebíades Santini | Presidente da AGERGS - Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados do RS

X

O Estado é grato ao Daer pelo trabalho que realiza. Há uma relação harmoniosa entre a autarquia e a Fepam, lembrando que o departamento é responsável pela instalação da infraestrutura rodoviária que é tão benéfica para o Estado, mas que traz impactos ambientais que precisam ser mitigados ou compensados, e o Daer tem feito isso de maneira efetiva.

Ana Pellini | secretária do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável e diretora presidente da Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam)

X

Para pensar no futuro, é importante pavimentar os caminhos. Se olharmos para trás, só temos que agradecer àqueles que prepararam o presente do Rio Grande ao longo de 80 anos. Que novas estradas unam cada vez mais os gaúchos e gaúchas.

André Machado | Jornalista

X

O Comando Rodoviário da Brigada Militar enaltece os 80 anos do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem, órgão de suma importância e presente nas ações integradas de fiscalização de trânsito das estradas gaúchas.

A parceria é tão significativa que o embrião da Polícia Rodoviária Estadual deu-se na origem da Polícia Rodoviária do DAER, criada na década de 50 e perdurando até 1967 naquele modelo, onde na passagem da missão, foi criada a Companhia Rodoviária, possibilitando inclusive a incorporação dos servidores do Departamento para a Brigada Militar

Cel. Nelson Alexandre de Moura Menuzzi | Comandante do Comando Rodoviário da Brigada Militar

X

Meus cumprimentos a todos os colaboradores e colaboradoras do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem. Neste momento de celebração aos 80 anos do DAER, destaco em nome do Legislativo, e de seus deputados e deputadas, a importância da atuação desta autarquia em uma das áreas mais sensíveis para o desenvolvimento do nosso Estado, que são as estradas. A boa qualidade das nossas rodovias integra e impulsiona o desenvolvimento dos municípios.

Edegar Pretto | Presidente da Assembléia Legislativa do RS

X

Parabéns pelos 80 anos desta instituição, pioneira na gestão do transporte rodoviário do Rio Grande do Sul. A Procuradoria-Geral do Estado deseja que o Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem permaneça construindo caminhos e pavimentando parcerias.

Eusébio Fernando Ruschel | Procurador-Geral do Estado

Fechar
X

O Daer tem uma trajetória de relevantes serviços prestados e grandes obras rodoviárias deixadas como legado para o Rio Grande do Sul.
Vivemos tempos de transformações, e a sociedade exige cada vez mais eficiência das instituições públicas.
A reestruturação já está acontecendo com foco total na prestação de serviços de qualidade.
Que a história sirva sempre de motivação para as mudanças necessárias. Estamos todos juntos construindo um futuro melhor para o Rio Grande, e o Daer faz parte desse caminho.

José Ivo Sartori | Governador do Estado do RS

X

A Sociedade de Engenharia propôs a criação do Daer, efetivada em 1937, para implantar uma malha rodoviária compatível às exigências do Estado. A partir daí, o seu qualificado corpo técnico passou a viabilizar e projetar a construção das rodovias e pontes necessárias ao desenvolvimento do RS, com tecnologias inovadoras, inclusive editando publicações técnicas que foram referência em vários estados. Do Daer saíram vários engenheiros que fundaram as mais tradicionais firmas de construção gaúchas. O órgão também acolhia estagiários de engenharia que atuavam como estagiários e contribuíam até na confecção de projetos de estradas, ao mesmo tempo que viabilizavam os recursos financeiros para se manterem nas escolas de engenharia. Nada impossível de se resolver impede que o DAER volte a ter a grande relevância do passado.

Luis Roberto Ponte | Presidente da Sociedade de Engenharia do RS

X

O Daer faz parte do crescimento e desenvolvimento do Rio Grande do Sul há oito décadas, com um trabalho brilhante e reconhecido por toda a sociedade gaúcha. Desde 1937, com sua criação, a qualidade do transporte rodoviário no Estado ganha notoriedade.

Posso dizer que acompanho o trabalho prestado pelo Daer há uns 50 anos e que também já devo ter rodado, quase na sua totalidade, os mais de 12.000 km de estradas de sua construção e administração. Parabéns pelos 80 anos de serviços prestados a todos os gaúchos e demais usuários.

Luiz Carlos Borges | Cantor e compositor

X

É um grande prazer poder prestar uma homenagem ao Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem do Estado do Rio Grande do Sul, nosso querido Daer, na passagem de seus 80 anos. Essa importante autarquia teve e tem um papel fundamental no desenvolvimento na rede de transportes de nosso Estado e foi sempre uma importante parceira e interlocutora de nossa Escola de Engenharia.

Desde sua criação, o DAER fez um chamado para que a Escola de Engenharia apoiasse sua atuação. Uma célebre e ilustrativa lembrança dessa forte relação é o chamamento do primeiro diretor-geral da autarquia, Baptista Pereira, que convidou todos os formandos da Escola de Engenharia para que os mesmos ajudassem o DAER a “desbravar o Rio Grande do Sul” e “abrir novos caminhos”.

Por toda essa trajetória, temos uma enorme satisfação em prestar nossa mais sincera homenagem ao DAER, na passagem de sua oitava década. Felizes por ter testemunhado e compartilhado a sua história e convictos de que todo o Rio Grande do Sul deve se orgulhar desse verdadeiro patrimônio do povo gaúcho.

Luiz Carlos Pinto da Silva Filho | Diretor da Escola de Engenharia da UFRGS

X

Na passagem dos 80 anos de existência de nosso Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (DAER), me congratulo com a direção da Autarquia e com seu qualificado corpo funcional, destacando a importância da instituição na história do Rio Grande do Sul, desde o planejamento rodoviário até as funções de fiscalização do transporte intermunicipal e de assessoramento técnico aos municípios.

Marco Peixoto | Presidente do Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Sul

X

O DAER é uma instituição que vem há 80 anos trabalhando nas estradas gaúchas. Pioneiro, o órgão foi e continua sendo importante na construção e manutenção da infraestrutura de grande parte da malha rodoviária do Estado, guardando memória técnica que traz benefícios imensos não apenas no âmbito estadual como no nacional.

A Empresa Gaúcha de Rodovias reconhece a importância do trabalho do DAER e parabeniza a autarquia pelos seus serviços ao povo gaúcho. A história do nosso Estado não poderia ser contada sem citarmos essa instituição, que ajuda a construir com suas estradas o futuro do nosso país.

Nelson Lidio Nunes | Diretor-presidente da EGR

X

O Daer foi um sonho e, hoje, é uma saudade. Passei 35 anos, quase metade da minha vida, no Departamento. Fui o primeiro jornalista servidor da instituição. Em companhia dos diretores, viajei por todo o Estado. Acompanhei o progresso que a construção e a recuperação das rodovias trouxeram para o desenvolvimento dos municípios. Divulguei essas boas-novas, muitas vezes, por telefone. Noutras, mandei entregar os textos nas redações. Naquela época, não contávamos com os meios eletrônicos, mas isso não nos impedia de difundir a atuação do Departamento. Hoje, acompanho tudo pelas redes sociais. Curto, comento e compartilho os assuntos relacionados aos serviços realizados pela autarquia e seu competente corpo técnico. Vida longa ao Daer, que tem superado as dificuldades financeiras para realizar um bom trabalho!

Nelson Moura | Primeiro jornalista do Daer

X

O Daer tem uma história de pioneirismo, de serviços, de utilidade pública e de permanente atualização. Construir estradas e pontes vai muito além das obras de engenharia, é abrir caminho para pessoas, cargas e para o desenvolvimento.
É necessário reconhecer o esforço da autarquia, apesar das dificuldades financeiras que o Rio Grande do Sul vive, e que também foram enfrentadas em outros momentos, para entender que essas restrições não impediram a realização de seu trabalho.
Os transportadores de passageiros do Rio Grande do Sul são testemunhas de que os resultados foram estradas construídas, conservadas e mantidas pelo departamento.
Cumprimentamos a diretoria, os colaboradores e todos aqueles que, ao longo desses 80 anos, participaram das realizações do Daer.

Pedro Antônio Teixeira | Presidente da FETERGS - Federação das Empresas de Transportes Rodoviários do RS

Fechar
X

Ao longo desses 80 anos, o Daer é o principal órgão público de infraestrutura rodoviária do Rio Grande do Sul. Seria impossível pensar em desenvolvimento sem lembrar da Ponte do Guaíba, executada na década de 50, e de obras como a construção da ERS-386, na década de 60 e 70, da Rota do Sol, da Estrada do Mar e da ERS-118. A história dessa instituição, que ainda tem muito a oferecer, deve ser valorizada. O Daer precisa continuar sua trajetória, investindo em modernização da gestão, em novos projetos e tecnologias, como tem feito ao longo dos anos. Parabéns ao DAER, seus Dirigentes, Conselheiros, Corpo Técnico e funcionários por este aniversário e obrigado pelo muito que fizeram e vão fazer pelo RS.

Ricardo Portella | Presidente do Sicepot - Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Pesada do RS

X

O Rio Grande transporta por rodovias 85% de tudo o que produz e consome, demonstrando que nosso povo escolheu esse modal como o de confiança e ressaltando nossas convicções libertárias: a estrada é, sem dúvida, um instrumento de liberdade e a principal ferramenta a assegurar o direito constitucional de ir e vir.

Por isso, o Daer não foi instituído por mera decisão administrativa, mas em resposta do governo de então a um movimento que teve, como vetores principais, as classes representativas da economia do Rio Grande do Sul, capitaneados pela Sociedade de Engenharia e pela Escola de Engenharia. É, portanto, fruto de um anseio do povo. Enquanto competente gestor da malha estadual, tem o compromisso de garantir a confiança desse povo no futuro e prosseguir no seu trabalho, como espelho de seu passado.

Roberto Niderauer | Presidente do Conselho Rodoviário do Daer

Fechar
X

Construindo rodovias e organizando o transporte intermunicipal, o Daer se faz presente no desenvolvimento de cada cidade de nosso Estado. A autarquia ajudou a encurtar distâncias, beneficiando o escoamento da produção e o crescimento de diversos setores econômicos. Também aproximou as comunidades, tornando mais rápido e seguro o deslocamento dos gaúchos entre todas as regiões.

Que o departamento siga com seu valoroso trabalho, pavimentando os caminhos para que o Rio Grande do Sul e seus municípios sejam mais fortes.

Salmo Dias | Presidente da FAMURS – Federação dos Municípios do RS
Prefeito de Rio dos Índios

X

Minha data de admissão no Daer foi 1º de agosto de 1966. Naquele tempo, era tudo muito diferente: não tínhamos computador, e os cálculos eram feitos com máquinas manuais. Quando entrei, a grande obra era a pavimentação da estrada da produção, hoje BR-386, que teve recorde de investimentos na época. O setor rodoviário era o grande “boom” da época, consumia e precisava de muitos engenheiros. Então, achei que aquele era um caminho de grande futuro. E, realmente, foi.

O laboratório central do Daer sempre teve muitos equipamentos de topografia de laboratório e, hoje, tem um centro de pesquisas bastante avançado. O órgão serviu de parâmetro para vários outros departamentos estaduais de estradas que foram surgindo no país. O Daer é mais antigo até que o DNIT. As normas técnicas foram desenvolvidas no Daer e depois levadas a outras instituições.

Sergio Bohrer Simões | Engenheiro do Daer – Servidor mais antigo em atividade

X

Cumprimento pelos 80 anos da autarquia dedicados à prestação de serviços e ao desenvolvimento, itens vitais para a construção e conservação das estradas. A Federasul preocupa-se com a infraestrutura que, quando não existe, compromete a produtividade, produz insegurança e deixa a produção gaúcha, de todos os setores, sem competitividade no mercado.

Desejo, assim, que essa história de oito décadas renda bons projetos, cheios de inovação e com a parceria da iniciativa privada.

Simone Leite | Presidente da Federasul – Federação das Entidades Empresariais do RS

X

Deixe um recado parabenizando o DAER por seus 80 anos

Saudações ao DAER e seu corpo de fucionários e técnicos. Estão todos de parabéns. Vida longa com saúde!


JOÃO FORTINI ALBANO | Porto Alegre

A comunidade percebe a atuação do Daer quando as máquinas estão na pista, mas sequer imagina tudo o que é feito antes de as obras saírem do papel. Um verdadeiro mutirão de servidores, de Porto alegre e do interior, atua diariamente com profissionalismo e dedicação para que cada projeto seja concretizado. São colegas que fazem o seu trabalho e mais do que isso: comprometem-se após o expediente e até nos finais de semana com o objetivo de entregar o melhor resultado.


LIANA RAMOS CARVALHO | Porto Alegre

Precisamos perceber e entender os serviços prestados pelo Daer e a importância da autarquia para a nossa sociedade. Muito além da conservação das estradas pavimentadas e não pavimentadas, o Daer é responsável por gerir o transporte rodoviário de todo o estado, pela fiscalização nas estradas estaduais e planejamento de melhorias para as rodovias do Rio Grande do Sul. Quando completa seus 80 anos, desejo ao Daer visibilidade positiva, para que todos saibam o quão necessário ele é para o desenvolvimento do estado.


CIRCE PERCHT | Porto Alegre

O Daer segue em frente com a missão de administrar 11 mil quilômetros de rodovias. Diariamente, servidores driblam as dificuldades para manter nossas estradas em boas condições, e isso merece o nosso respeito. Muitos são os feitos do passado e ainda há muito por realizar. Parabéns Daer pelos 80 anos!


SUSANA GOERCK | Canoas

Quem construiu os caminhos que ligam as comunidades do Rio Grande do Sul merece o reconhecimento por essa bela trajetória de 80 anos e a confiança nos novos projetos para o crescimento do estado. Parabéns e vida longa ao Daer!


JÚLIO CUNHA NETO | Porto Alegre

Os 80 anos do Daer refletem importância do órgão para o estado, trazendo uma história trilhada entre caminhos que levam a todos os cantos do Rio Grande. Em 1 ano e meio de trabalho divulgando as obras pelo estado percebo o esforço e a força de vontade que o departamento tem para dar o seu melhor para que a população tenha uma malha rodoviária de qualidade e segurança.


GUILHERME PEREIRA | Porto Alegre

É um orgulho estar no Daer quando ele completa 80 anos e me unir às centenas de homens e mulheres que como servidores públicos contribuíram para história e o desenvolvimento do estado do Rio Grande do Sul. Um órgão de tanta tradição e com tanta relevância estadual e nacional para o transporte rodoviário merece os parabéns e mais 80 anos de história!


SABRINA MONTEIRO | Canoas

Mural

Nossos caminhos levam
ao desenvolvimento

O Daer está completando 80 anos de serviços prestados à sociedade gaúcha. Essa história foi marcada por fatos e feitos que favoreceram diretamente o desenvolvimento do Rio Grande do Sul. A cada nova estrada construída, distâncias foram encurtadas, cidades aproximadas e comunidades beneficiadas.

O nosso futuro é o Rio Grande do Sul. Por isso estamos reorganizando nossos processos de gestão, programas e projetos dentro de uma nova concepção de Estado: mais moderna, enxuta e eficiente. Através de um Projeto de Gestão Estratégica, queremos estar mais preparados e estruturados para qualificar a prestação dos nossos serviços.

Neste hotsite, você encontrará alguns acontecimentos que fizeram parte da trajetória de 80 anos do Daer.
Venha conosco conhecer um pouco deste caminho.

Conheça melhor a nossa história

1933

Em 1933, a Sociedade de Engenharia do RS iniciou uma campanha pela remodelação do sistema rodoviário, procurando divulgar os princípios essenciais da política rodoviária dos países mais desenvolvidos. A intenção era criar um Departamento Autônomo, dotado de amplas garantias de liberdade de ação e autonomia financeira para construir e conservar estradas. Durante quatro anos foi feita intensa propaganda dessa ideia, por meio de reuniões, publicações de artigos e mobilizações.

1937

Após anos de reivindicações, o Governo do Estado criou o Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem, como autarquia estadual responsável pela gestão do transporte rodoviário do Estado do Rio Grande do Sul, vinculada à Secretaria de Estado dos Negócios das Obras Públicas. Estava criado o segundo órgão rodoviário do país. O ato foi oficializado por meio da Lei nº 750, publicada em 11 de agosto de 1937.

1938

Com a promulgação da lei de criação, o Daer entrou oficialmente em funcionamento em 23 de fevereiro de 1938. Neste ano, o Decreto 7.123 (21/02/1938) aprovou o primeiro regulamento da autarquia e o primeiro Plano Rodoviário do RS. Considerado também o primeiro mapa rodoviário, o documento estabelecia o planejamento rodoviário para os próximos 10 anos e continha um minucioso estudo sobre as condições da malha rodoviária daquele momento. "Para o ataque simultâneo dos trabalhos em todas as regiões do Estado, foram subdivididos os serviços em nove residências, cada uma das quais compreendendo várias centenas de quilômetros de estradas a remodelar". Trecho do Relatório da Diretoria Geral de 1938.

1938

Nessa foto, uma homenagem realizada por funcionários do Daer ao então Secretário das Obras Públicas, eng.º Walter Jobim (no centro da foto). Anos mais tarde, de 1947 a 1951, Walter Jobim foi Governador do Estado, e a foto retrata um grupo pioneiro dos mais destacados técnicos e servidores da primeira geração do órgão rodoviário gaúcho.

  • Ponte do guaiba
  • Ponte do guaiba
  • Ponte do guaiba
1940

Em 1940, o Daer deu início à construção da primeira rodovia pavimentada do Rio Grande do Sul. A ligação entre Rio Grande e Cassino – atualmente denominada ERS-734 – foi executada com os primeiros equipamentos adquiridos pela autarquia e concluída em 1942. Neste período, também teve início a execução da rodovia Gravataí-Osório-Tramandaí, atualmente denominada ERS-030.

1942

Em 1942, o Departamento iniciou a construção da Ponte Ernesto Dornelles, no Rio das Antas, entre Bento Gonçalves e Veranópolis. Também chamada de Ponte dos Arcos, a estrutura foi inaugurada em agosto de 1952 e se tornou a primeira ponte com arcos paralelos do mundo. Por sua importância, a obra virou símbolo no brasão do Daer.

  • Ponte do guaiba
  • Ponte do guaiba
1944

Em frente ao prédio histórico da Prefeitura de Porto Alegre, junto à Fonte Talavera, na Praça Montevidéu, está implantado o marco zero do Daer, referencial para todas as rodovias radiais do Rio Grande do Sul. Suas coordenadas são: longitude 51°13’40”, latitude 30°01’30” e altitude 4,717m.

1944

O projeto para a elaboração do marco é de 1944 e sua localização, posição geográfica e altitude foram determinadas com precisão pelo Serviço Geográfico do Exército, visando à projeção de rodovias com a precisão necessária para a sua administração e estudos sobre o desenvolvimento futuro. Até então, quando se procedia ao estudo e, posteriormente, à construção de uma estrada, partia-se de um ponto de cota arbitrária e de um sistema de coordenadas também arbitrário.

1945

A busca por técnicas inovadoras de engenharia civil sempre foi prioridade na autarquia. Em 1945, o Daer foi pioneiro no emprego de tecnologias e materiais que resultaram na construção da ponte do Rio Ibicuí, em Manoel Viana. Inaugurada em 1950, a obra constituiu-se em um elo de ligação rodoviário entre vários municípios da região da Fronteira Oeste.

  • Ponte do guaiba
  • Ponte do guaiba
  • Ponte do guaiba
  • Ponte do guaiba
  • Ponte do guaiba
  • Ponte do guaiba
1953

No dia 16 de novembro de 1953, foi criada a Polícia Rodoviária do Daer, com o objetivo de gerenciar o policiamento rodoviário das estradas estaduais. Em 1967, a tarefa passou para a Brigada Militar, e os funcionários puderam optar por permanecer no Daer ou se incorporar ao Batalhão Rodoviário da Brigada Militar.

1954

A fiscalização do transporte coletivo municipal também passou a ser de responsabilidade do departamento já na década de 40. A imagem ao lado, de 1954, apresenta um modelo de veículo que realizava o serviço na época, sendo avaliado pelo fiscal do Daer.

Ponte do guaiba
  • Ponte do guaiba
  • Ponte do guaiba
1955

Nesse período, a travessia entre Porto Alegre e Guaíba era administrada pelo Daer e realizada através de barcas que transportavam veículos e pessoas. O antigo atracadouro era localizado no Bairro Assunção. Em 1954, funcionavam seis barcas que transportavam cerca de 827 mil passageiros e 246 mil veículos por ano.
Saiba mais
O sistema de balsas foi implantado em 1941 pelo Daer na Vila Assunção, em substituição ao precário sistema mantido por empresa de navegação. Cada balsa podia transportar 22 automóveis ou nove ônibus. O tempo médio de travessia era de 1h30min para pouco mais de cinco quilômetros de percurso. Na época,era a única conexão entre Porto Alegre e Guaíba e, consequentemente, da Região Metropolitana com a metade sul do Estado. O serviço foi extinto no final da década de 50 com a inauguração da Ponte do Guaíba.

1958

Ainda nesta década, em dezembro de 1958, foi entregue ao tráfego a "Travessia Engenheiro Régis Bittencourt"– a chamada Ponte do Guaíba–, construída pelo Daer para substituir as barcas que faziam a travessia Porto Alegre-Guaíba. As obras do então maior empreendimento da América do Sul iniciaram em 1955, envolvendo o trabalho de 3,5 mil funcionários.

Ponte do guaiba
Ponte do guaiba
1963

Inauguração da ponte sobre a Barra do Fão, entre Lajeado e Soledade. A ponte tem o comprimento de 174,80m e está localizada na BRS-386, também conhecida como Estrada da Produção.

1965

Em 1965, o Daer iniciou as obras da Estrada da Produção (RS-13), fundamental para o escoamento da produção gaúcha. Os primeiros 37 quilômetros da rodovia foram inaugurados em 1967. Entretanto, a finalização do trecho de 309 quilômetros levou oito anos e permitiu a ligação entre Sarandi, Carazinho, Soledade, São José do Herval, Barra do Fão (atualmente Marques de Souza) e Estrela (área onde atualmente é o município de Lajeado). Hoje federalizada, a BRS-386 liga Iraí, na divisa com Santa Catarina, a Canoas, na Região Metropolitana de Porto Alegre.

  • Ponte do guaiba
  • Ponte do guaiba
  • Ponte do guaiba
  • Ponte do guaiba
  • Ponte do guaiba
1966

Nesse ano, tiveram início as obras da Ponte do Goio-En sobre o rio Uruguai, que, atualmente, faz parte da ERS-480. Concluída em 1975, a obra liga o Oeste Catarinense à Região Serrana e ao Alto Uruguai gaúcho.

1967

Inaugurada a Ponte sobre o Rio das Antas, no passo do Zeferino, localizada na ERS-122, no trecho Flores da Cunha-Antônio Prado.

A ponte tem extensão total de 300m com um vão central de 105m e foi executada em concreto protendido em balanços progressivos.

Ponte do guaiba
1970

Em 1970, com a evolução da malha rodoviária e aumento no número de linhas intermunicipais, surgiu a necessidade de adequar a rodoviária de Porto Alegre. As instalações da Estação Rodoviária de Porto Alegre foram projetadas e construídas pelo Daer. O prédio foi inaugurado em 28 de junho de 1970 e foi considerado, na época, o maior e mais moderno terminal rodoviário da América do Sul, tanto em estilo arquitetônico quanto no aspecto funcional.

1970

Também em 1970, em novembro, foi inaugurado o Autódromo de Tarumã, em Viamão – obra projetada e executada pelo Daer. A pista tem extensão total de 3.016 metros, com 11 curvas, de altíssima, média e baixa velocidades.

1972

No ano de 1972, a autarquia passou a ter sua sede própria, marcando uma nova fase na sua história. O prédio de 20 andares recebeu o nome do seu primeiro diretor-geral, José Batista Pereira e foi construído na Av. Borges de Medeiros, 1555, em área do Rio Guaíba, que precisou ser aterrada.

1974

Em 1974, foi inaugurada a ponte sobre o Arroio Chuí, ligando o Brasil, na localidade de Santa Vitória do Palmar, ao Uruguai.

1974

Inauguração dos 136 quilômetros do Complexo Rodoviário São Vendelino, na época denominado RS-26-99 e atualmente ERS-446. A rodovia liga as cidades de São Vendelino, Carlos Barbosa, Garibaldi e Bento Gonçalves, aproximando Porto Alegre da "Metrópole do Vinho", e favorecendo a indústria local e o turismo.

1980

A partir da década de 80, ocorreu o incremento nos serviços relacionados à fiscalização do transporte intermunicipal de passageiros. O sistema é gerenciado pelo Daer, que emite autorização às empresas transportadoras e concede a operação das estações rodoviárias.

  • Ponte do guaiba
  • Ponte do guaiba
  • Ponte do guaiba
  • Ponte do guaiba
  • Ponte do guaiba
  • Ponte do guaiba
1984

Neste período, o Daer realizou a primeira duplicação de rodovia estadual. Os trabalhos no trecho de 10 quilômetros da ERS-040, entre Porto Alegre e Viamão, foram finalizados em 1984 e contribuíram para a melhoria da mobilidade na Região Metropolitana. O projeto foi elaborado pela autarquia em 1980 e priorizou a preservação das figueiras ao longo do trajeto.

1987

Em 1987, o Daer completou 50 anos de serviços prestados a toda a sociedade gaúcha. Nos anos seguintes, as rodovias de importantes regiões turísticas foram contempladas com melhorias, como os Caminhos de Pedra, ao longo da VRS-805, e a Estrada do Vinho (ERS-444), buscando o desenvolvimento econômico das cidades em seu entorno e a segurança viária.

Ponte do guaiba
1987

Em 1987, o Daer completou 50 anos de serviços prestados a toda a sociedade gaúcha. Nos anos seguintes, as rodovias de importantes regiões turísticas foram contempladas com melhorias, como os Caminhos de Pedra, ao longo da VRS-805 e a Estrada do Vinho (ERS-444), buscando o desenvolvimento econômico das cidades em seu entorno e a segurança viária.

  • Ponte do guaiba
  • Ponte do guaiba
  • Ponte do guaiba
  • Ponte do guaiba
  • Ponte do guaiba
1990

Em 1990, o Daer inaugurou a Estrada do Mar, ERS-389, concebida para trânsito de veículos de passeio como alternativa de acesso ao litoral, desafogando o trânsito da BRS-101. Posteriormente, a rodovia foi liberada para o tráfego de veículos de carga e ônibus.

1995

Nessa década, o conceito de polo rodoviário, pioneiro no Brasil, começa a ser implantado no Rio Grande do Sul. Dessa forma, em 1995, foi atribuída ao Departamento a tarefa de conceber o Programa Estadual de Concessão Rodoviária. A avaliação da viabilidade do programa foi realizada pelo Daer e apoiada por empresas de consultoria. O estudo foi baseado na experiência gaúcha dos pedágios comunitários e na experiência de outros estados e países. As operações iniciaram efetivamente em 1998, contemplando sete polos: Carazinho, Gramado, Santa Cruz do Sul, Vacaria, Metropolitano, Lajeado e Caxias do Sul. Em 2000 abrangia cerca de 25% de toda a malha pavimentada do Estado, 50% a 60% de todo o tráfego e cerca de 70% do PIB gaúcho circulando pelas rodovias.

Ponte do guaiba
Ponte do guaiba
2005

No final de 2005, um importante passo foi dado para a modernização e qualificação do setor rodoviário no Rio Grande do Sul com a inauguração do Centro de Pesquisas Rodoviárias (CPR) do Daer. Localizado na Av. Ipiranga, o prédio conta com os principais laboratórios para o aperfeiçoamento de materiais e técnicas de pavimentação.

2007

Neste ano, o Daer concluiu a construção da Rota do Sol (RSC-453/ERS-486), que liga a Serra Gaúcha ao Litoral Norte, atendendo a um desejo antigo dos gaúchos. O trecho rodoviário percorre túneis, viadutos e pontes em meio a paisagens de grande beleza natural e o maior desafio foi vencer um desnível de 800m em uma distância de 11km. O trecho entre a BRS-101 e a ERS-389 foi inaugurado em janeiro de 2005, mas os trabalhos foram finalizados em 2007, quando a rodovia foi entregue definitivamente ao tráfego.

2007

Os primeiros estudos da Rota do Sol foram iniciados pelo Daer em 1972, visando construir uma ligação entre o polo-mecânico de Caxias do Sul e o Litoral Norte do Estado. O objetivo era transportar a produção da Serra Gaúcha ao norte do País pela BRS-101, como alternativa à BRS-116. Entre 1987 e 1990, foi construído o trecho até Lajeado Grande. Com a emissão da licença de instalação pelo Ibama, em 1997 teve início a construção do trecho entre Tainhas e Terra de Areia. Entretanto, a necessidade de adequações no projeto, aliada a questões financeiras, comprometeu a evolução das obras, que foram finalizadas em 2007, quando a rodovia foi definitivamente entregue ao tráfego. O empreendimento rodoviário foi grandioso ao projetar e construir 6 pontes, 7 viadutos e 2 túneis. Os operários tiveram que trabalhar em invernos rigorosos com ocorrência de neve, quando máquinas tinham suas engrenagens frequentemente congeladas pelas temperaturas abaixo de zero.

2010

A RSC-471, que liga Barros Cassal a Santa Cruz do Sul, foi inaugurada em dezembro de 2010. A rodovia é o mais importante eixo de ligação entre o norte do Estado, Planalto Médio e o Porto de Rio Grande, via Vale do Rio Pardo.

2010

Neste ano, o Daer também realizou as obras do acesso ao aeroporto Internacional Salgado Filho, em Porto Alegre. Os trabalhos foram finalizados no mês de dezembro e deram uma valiosa contribuição para o sistema de mobilidade da Região Metropolitana.

2012 - 2017

Nos últimos anos, o Daer pavimentou dezenas de acessos municipais. As obras qualificaram as rotas de entrada de diversas cidades gaúchas, impulsionando o desenvolvimento econômico em diferentes regiões do Estado.

HOJE

Você sabia que o Daer tem sob sua gestão mais de 11 mil quilômetros de rodovias? Para manter a malha em condições, a autarquia está com diversos programas em andamento, que viabilizam a pavimentação e restauração de trechos em diversas áreas do Estado, incluindo corredores importantes para o escoamento da produção agrícola gaúcha. Sâo estes o Programa Acessos Municipais, Programa Crema Serra, Crema Erechim, Programa Restauro e Programa Convênios Municipais.

HOJE

O desenvolvimento de pequenos municípios gaúchos passa pela pavimentação das rotas de entrada a essas comunidades. É por isso que o Daer investe na pavimentação dos acessos municipais para ligá-las às principais rodovias do Rio Grande do Sul. São mais de 500 quilômetros previstos no programa, que tem facilitado o escoamento da produção e a atração de investimentos nas localidades atendidas.

HOJE

A recuperação completa de 170 quilômetros de rodovias no norte do Rio Grande do Sul é o objetivo do Contrato de Restauração e Manutenção de rodovias da região de Erechim. O investimento de R$ 78 milhões, financiado pelo Banco Mundial (Bird), abrange a ERS-126, ERS-343, ERS-467, ERS-478 e ERS-208. Após a fase de restauro, esses mesmos trechos passam por serviços constantes de manutenção durante quatro anos.

HOJE

Você sabia que o Daer tem sob sua gestão mais de 11 mil quilômetros de rodovias? Para manter a malha em condições, a autarquia está com diversos programas em andamento, que viabilizam a pavimentação e restauração de trechos em diversas áreas do Estado, incluindo corredores importantes para o escoamento da produção agrícola gaúcha. Sâo estes o Programa Acessos Municipais, Programa Crema Serra, Crema Erechim, Programa Restauro e Programa Convênios Municipais.

HOJE

Por meio do Programa Restauro, o Daer recuperará 700 quilômetros de rodovias pavimentadas em diferentes regiões do Rio Grande do Sul. São corredores viários que se destacam pela importância econômica e turística, assumindo papel estratégico para o desenvolvimento do Estado. Os serviços previstos incluem a renovação duradoura do pavimento, da drenagem, de pontes e da sinalização de trânsito das estradas.

HOJE

As parcerias entre Estado e municípios têm ajudado a tornar realidade projetos importantes para as comunidades gaúchas. Por esse motivo, o Daer firmou convênios com 14 prefeituras para viabilizar a pavimentação de 82,7 quilômetros de trechos rodoviários e travessias urbanas. O repasse de recursos garante, ainda, a realização de melhorias na drenagem, em pontes e na sinalização de trânsito.

HOJE

Investir na segurança das estradas é uma das prioridades do Daer. Por isso, a autarquia mantém 221 faixas de rodovias monitoradas por pardais e lombadas eletrônicas no RS. Dos mais de 400 milhões de veículos que passam todo ano pelos controladores de velocidade, menos de 1% é multado. Isso comprova a eficácia dessa iniciativa para a educação no trânsito e a redução de acidentes.

HOJE

Você sabia que o Daer é o órgão que gerencia o Sistema de Transporte Intermunicipal de Passageiros no RS? Todo ano, as linhas de ônibus regulares transportam 50 milhões de pessoas entre diferentes cidades do Estado, realizando 1,5 milhão de viagens entre 260 estações rodoviárias.

Linhas regulares ativas: 1.682
Ônibus em circulação: 20 mil
Passageiros/ano:  50 milhões
Nº de viagens/ano: 1,5 milhão
Quilômetros percorridos/ano: 190 milhões
Estações rodoviárias ativas: 260

HOJE

Você sabia que o Daer é o único órgão que regula e fiscaliza o transporte de cargas nas rodovias estaduais gaúchas? Os caminhões com peso acima do permitido por lei só podem seguir viagem mediante a autorização especial de trânsito (AET), fornecida pelo departamento. Todo ano, o Daer emite cerca de 10 mil AETs para controlar e evitar a circulação de cargas com excesso de peso, que danifica e reduz a durabilidade do pavimento das estradas.